fbpx
Da nossa família para a sua

Deixe seu e-mail e receba conteúdo exclusivo


    Aeração de grãos armazenados

    Aeração de grãos armazenados

    A aeração de grãos armazenados consiste essencialmente em promover a passagem de ar natural de baixo fluxo através dos grãos, a fim de diminuir e homogeneizar a sua temperatura, para impedir a migração de umidade e, dependendo das condições climáticas e o fluxo de ar, favorecer a secagem dos grãos.

    Pode-se dizer que o conhecimento desta prática no Brasil é relativamente novo. Acredita-se agora que seja praticamente essencial na boa preservação dos grãos armazenados, mas certas precauções devem ser tomadas para evitar a degradação dos mesmos e o desperdício de energia.

    Os grãos são sementes e, portanto, organismos que são biologicamente vivos com metabolismo que produz calor e CO2 entre outros gases proveniente da transpiração, cujo acúmulo sem remoção provoca a deterioração da qualidade do grão.

    Para solucionar estes problemas, o produtor recorre a processos variados, tais como a transilagem – que é a aeração pela movimentação dos grãos de um silo para outro e a aeração forçada dos grãos, processo este que iremos analisar.

    Objetivos da Aeração

    Objetivos da Aeração

    A aeração tem diferentes efeitos sobre a carga dos grãos, dependendo do produto e das condições ambientais – entre outros fatores.
    Os objetivos a serem atendidos são:

    • Uniformizar a temperatura da massa de grãos;
    • Promover a secagem dentro de certos limites;
    • Controlar a umidade do produto;
    • Remover odores;
    • Resfriar toda a carga de grãos.

    O resfriamento dos grãos é o objetivo principal e os benefícios no microclima dentro da carga de grãos são descritos a seguir:

    • Inibir as atividades de insetos: a maioria dos insetos que consomem os grãos são de origem tropical e subtropical, e temperaturas entre 17°C e 22°C e umidade inferior a 30% inibe o desenvolvimento de várias espécies.
      Na prática, as condições ideais do ambiente no interior do silo e da massa de grãos são entre 23°C a 35°C,  com umidade relativa de 70%.
    • Inibir o desenvolvimento da microflora: o desenvolvimento de fungos e outros microrganismos é favorecida em ambientes com umidade relativa alta que não deve ultrapassar os 70%.
    • Preservar a qualidade: grãos armazenados em silos formam um ecossistema peculiar em estado latente, onde as atividades metabólicas são imperceptíveis e esta aparente inatividade deve ser mantida pelo maior tempo possível sem comprometer a qualidade dos grãos.
      A introdução de uma massa de ar em temperatura baixa é benéfica para a conservação dos grãos em estado latente por períodos prolongados. Vide figura 1.
    • Uniformizar a temperatura: A aeração é feita para uniformizar a temperatura da massa de grãos, evitando focos de aquecimento e equalizando a umidade da massa, principalmente quando a carga é movimentada.
    • Promover a secagem dos grãos: em geral, não se entende a aeração como um processo de secagem, porém, dentro de certos limites e em condições favoráveis, os grãos úmidos são secados às custas de vazões de ar mais altas que as requeridas para a aeração. 
    • Remover odores: em função da atividade biológica e dos micro-organismos presentes, odores não desejáveis podem se manifestar. A aeração pode remover estes odores e devolver os grãos ao seu cheiro característico.

    Sistema de aeração

    Sistema de aeração

    Figura 1. Fonte : UFES – Universidade Federal do Espírito Santo Departamento de Engenharia de Alimentos

    Os equipamentos necessários para promover a aeração são compostos por:

    • Ventilador com motor: Fornece a vazão de ar necessária para a aeração. Dependendo da porcentagem de enchimento do silo, as pressões podem variar de 500 a 3000 Pa e a vazão de ar pode variar de 0,5 a 5 (m3/min) /tonelada de grãos.
    • Dutos de insuflamento: Conduzem o ar para o interior do silo;
    • Silos: Armazenam os grãos;
    • Dispositivos de monitoramento: Indicam as condições do ambiente interno e externo e controlam as condições de ventilação do silo.
    Aeração de grãos armazenados

    Figura 2. Fonte : Aeração de grãos armazenados -Juarez de Souza e Silva

    Tipos de dutos de aeração: podemos ver na figura 3 as várias disposição de dutos de insuflamento.

     Arranjos dos dutos de insuflamento

     Arranjos dos dutos de insuflamento

    Figura 3 Fonte : Aeração de grãos armazenados -Juarez de Souza e Silva

    Valores típicos de vazão de ar em função da aplicação:

    Tipo de instalaçãoFluxo de ar (L de ar/min)/ton
    Aeração de graneleiros de fundo plano100 a 200
    Aeração de silos30 a 100
    Aeração de silos pulmão300 a 500
    Secagem-aeração500 a 1000
    ResfriamentoMínimo 120
    Valores típicos de vazão de ar em função da aplicação

    Figura 4. Fonte: UFES – Universidade Federal do Espírito Santo Departamento de Engenharia de Alimentos

    É importante observar que o armazenamento pode afetar a qualidade do produto. Por outro lado, se for operado indevidamente sem o conhecimento técnico adequado, se tornará uma fonte de perdas quantitativas-qualitativas de grãos armazenados e uma fonte de despesas imensurável ​​para a unidade de armazenamento.

    Dúvidas sobre o processo de Aeração de grãos armazenados? Entre em contato com um de nossos especialistas!

    Escrito por: Eng. Eduardo Bertomeu, consultor técnico Sicflux.

    Acesse nossa loja virtual!

    Comentários

    Receba conteúdo exclusivo gratuitamente